ON HOW OLD MEMORIES COME ALIVE

Costumo dizer que meu amor pela foto foi 'love' à primeira vista, desde quando ganhei minha primeira máquina, que foi exatamente uma LOVE. Lembra? Aquelas primeiras maquininhas descartáveis? Pois é...

Mas daí... pensando melhor, lembrei que a coisa é mais antiga... mais jurássica, sabe? Vem da lembrança de meu pai, documentando tudo a nossa volta, com a maquininha dele. E isso, evoca lembranças que pra mim ainda hoje são mágicas! Todas as fotos de nossa infância - e algumas de nossa adolescência - foram com ela. Rsrs... O Filósofo-Papai era muito parecido comigo, sabe? Ele sempre estava lá... com a sua maquineta... Click! Click! Click!

Gente... e a bichinha aguentou coisa, visse?! Inclusive ficar mergulhada num rio por dias, até ser resgatada por um pescador e ser devolvida a seu dono! É... e mesmo depois disso ainda tirou moooita foto. Outro dia papai a resgatou do fundo de uma de suas caixas-buraco-negro. E eu mais do que rapidamente adotei a danada e levei para uma geral. E não é que ela ainda funciona! Só não acho mais filme para ela... Uma pena!

Outra de nossas primeiras máquinas foi uma YASHICA foco fixo. Esta agüentou o tranco de nossas aventuras adolescentes por anos, e apesar de estar meio roidinha de maresia, também acho que a bichinha ainda dá um caldo.

Eu tenho também uma PRATIKA russa, que ganhei de meu tio Rubão. Foi com ela que eu comecei meus estudos da arte. Foi com ela que comecei a ensinar o Filósofo-Sobrinho a fotografar e tenho certeza que vai ser com ela que ainda faremos muitas fotos.

Estas máquinas antigas são duras na queda! Um cadinho diferente destas digitais de hoje em dia, que têm, inclusive, a vida útil do obturador meio que já pré-determinada. É... verdade!
Mas qual é exatamente o quê desta minha viagem à memory lane??

É que recebi de migomeu, um curtinha chamado PEN Story. Ele me mandou com o simples recado: "Acho que vc vai gostar". E realmente eu amei!!! Não só pela sacada do vídeo, mas também pelas lembranças que despertou em mim. Ele foi produzido com e para homenagear os 50 anos da câmera OLYMPUS PEN. A PEN foi uma câmera fotográfica de formato inovador para a época (ela introduziu o conceito de máquina compacta acessível) lançada pela OLYMPUS no início da década de 60. Eu lembro bem da que minha tia Coxixa tinha, quando éramos crianças (memory lane again!), e de como ela também aguentava nosso tranco!

Com o design do gênio japonês Yishihisa Maitani (que faleceu em jul/2009), a idéia da criação da PEN foi – e ainda é – ter uma câmera compacta, mas com funções e lentes intercambiáveis de uma SLR. Prática de se usar e de se carregar como uma caneta (PEN, em inglês), a PEN veio popularizar a arte de fotografar. E por que eu digo que ainda é? Porque a OLYMPUS ressuscitou a PEN este ano, só que agora em formato digital.

Ah! E o vídeo? Bom... o curtinha é muito lindo e super-bem feito. Ele foi feito em stop motion, usando 60.000 fotos (feitas com a PEN, claro!), das quais foram impressas 9.600 e que depois foram usadas em mais outras 1.800 fotos feitas para o quadro-a-quadro da animação. Isto sem nenhuma pós-produção! A música tem melodia e letra lindas, compostas especialmente para o filme... escuta só:



A PEN ressuscitada no formato digital é uma compacta sem ser apenas uma compacta, e tem funções e intercambiamento de lentes de uma SLR sem ser uma SLR. Fotografa e filma em HD e já vem com 8 filtros de efeito artístico. A whole new experience, with sweet memories!!

E assim, por culpa dele, ela se junta à LOMO e à LEICA na minha lista de desejos fotográficos.


1 Pitacos:

Max Amaral disse...

desculpa aí, viu?