FILME DA VEZ - AVATAR

Eu estava relutante em assistir a algo em 3D desde que a tecnologia foi relançada recentemente. Minha experiência com os óculos de papel e celofane bicolor envolveram enxaquecas e vômitos no cinema. Cena nada agradável.

Mas AVATAR tinha que ser visto em 3D! E lá fomos nós ontem, quase toda turminha reunida, munidos de óculos novos (amém!), crianças, pipoca, muita animação e ansiedade...

Não podia ter escolhido filme melhor para minha primeira vez! E desta vez, nada de 'incômodos' desagradáveis.

AVATAR é uma bordoada visual. E vê-lo em 3D é um must! Com um roteiro redondo - apesar de previsível em alguns momentos - o filme diz a que veio com seus efeitos deslumbrantes. A fotografia é de tirar o fôlego (que iluminação!) e a perfeição dos detalhes de seus personagens digitais só poderiam ser transmitidas com a nova tecnologia performance capture, que traduz de forma digital o desempenho e expressões dos atores reais. Desempenhos estes, aliás, todos excelentes! E com isso, de 15 em 15 minutos eu tinha que me lembrar de relaxar e de desgrudar da cadeira!

Discorrendo sobre os conflitos nas relações Humanos X Na'vis durante a colonização do planeta Pandora, de um jeito mutio parecido com a forma com que a história mostra que foi a relação Homem Branco X Índios (colonização americana), o roteiro te pega pela mão e o leva a passear por referências a filmes como Dança com Lobos, Matrix, Guerra nas Estrelas e até mesmo Titanic (a trilha sonora de James Horner, muitas vezes parecia querer dar a deixa para Leonardo DiCaprio fazer sua entrada).

Num conjunto total é um filme de ação/ drama/ romance, com um apanhado visual para lá de impactante! Mas é um divisor de águas assim como foi Matrix?!? Não sei... Talvez apenas tecnologicamente. O filme se destaca exatamente naquilo que James Camerom mais trabalhou durante este seu hiato produtivo: a tecnolgia para contar sua história do jeito que ele imaginou. E nisso, sim, JC é muito bom. Ele é um ótimo contador de histórias. E aqui, ele usa a tecnologia com maestria e como parceira irrefutável! AVATAR é estupefante! Os cenários... os personagens digitais... tudo! Eu e Bia ficamos imaginado como seria possível aquilo tudo se fazer concreto, saindo da cabeça de alguém. Que cabeça!

Mas dar o mérito maior aos efeitos não desmerece de todo o roteiro, sugerindo que ele seja fraco ou até mesmo 'chato' como Nani saiu bradando, em alto e bom tom! Rsrs... De jeito nenhum. Como disse, o roteiro é bem redondo e entrega uma história coerente, com pouquíssimos furos, e com início, meio e fim bem costuradinhos. Seguindo a fórmula Cameron, claro: 3 atos postos em sequëncia crescente, com um ato final que te prende indiscutivelmente.

Mas e aí... qual minha opinião final?!?! AVATAR é um puta filme! Uma experiência pela qual vc tem que passar. Principalmente se vc tiver acesso a salas de projeção 3D. De qualquer jeito, vá ver no CINEMA, pelamordedeus!! A única coisa legal do DVD vão ser os extras! Vai por mim...

E se eu o veria de novo?? Claro!!! E já combinamos tudo para o repeteco, me parece que com exceção de Nani, apenas. Rsrs... Bora??

2 Pitacos:

Max Amaral disse...

A Nani é uma chata!!

diz pr'ela que eu é que mandei falar...

O filme não é chato, tem ação para dar e vender. Concordo que suas inovações estão, mesmo, todas na tecnologia usada para contar a história. Mas isso não é demérito se a história que é contada é digna, e é.

Previsível? Sim, há mocinhos e bandidos delimitados até demais, e a gente sabe quem vai ganhar a briga no final, mas o que há de errado com isso? A trilogia inicial de Star Wars é o que? Putz, o Senhor dos Anéis é o que?
Então me diz quando foi a última grande surpresa que o cinema trouxe, assim, do nada (eu estou pensando aqui no Matrix original (que, depois, desandou tristemente nos dois episódios restantes da trilogia) e Sexto Sentido). O que há de errado com uma boa história sendo contada?

Enfim.

Sora Soralina disse...

Concordo totalmente com vc!
Acho que a Nani tinha era expectativas em excesso para o filme...