TAPIOCA... BIJÚ...

Pois é... Neste Sábado minha 'rimã' veio de João Pessoa para uma semana de reuniões lá no IBAMA.

É claro que ganhei mimos, né? Mimos de Chi-Chi-le-le (depois eu conto desses) e mimos da Paraíba: goma fresca de tapioca!

E é lógico que na manhã de Domingo amanheci com o umbigo colado na pia para fazer tapioca... bijú... ou como quer que vcs queiram chamar.

A goma vem numa embalagem plástica, já úmida, no ponto. Como eu gosto da massa bem fininha, eu coloco sal e passo a massa pela peneira. Só isso e tá pronto para usar.

Normalmente o biju é enrolado ou dobrado ao meio, com o recheio em seu interior. Mas minhas lembranças de infância, com minha mãe fazendo bijú para nós no café da manhã, é com o queijo no meio da massa. Eu explico como é:
1. Antes de mais nada, use fogo baixo, ok? Vc esquenta levemente a frigideira para começar. Uma vez me perguntaram: "Precisa de untar?". NÃO!!! Só essa esquentadinha já resolve. E olha que minha frigideira é de inox sem teflon!!
2. Coloca uma camada fininha de massa, só pra forrar o fundo.
3. Distribui lasquinhas de queijo sobre essa camada.
4. Faz uma Segunda camada de massa, tbm fininha.
5. No que vc rebolar a frigideira e a massa dançar, tá bom de virar. Eu já tenho as manhas de virar na munheca. Mas isso requer uma certa prática. Use a espátula se precisar.
6. Enquanto o outro lado sofre sua mutação, passe manteiga no lado que está para cima. Usar as costa da colher é bem mais fácil que usar uma faca, vai por mim! Não deixe muito tempo, senão resseca demais. Deslize para o prato e pronto! É só partir para o abraço! Hummm... tombom! O Queijo fica alí... derretidinho bem no meio da massa!
Ah! Vc não tem quem faça o contrabando da goma pronta para vc? Então, vc pode comprá-la na Feira ou usar o polvilho doce e ir molhando ele até dar o ponto. Mas eu já adianto... euzinha aqui, criada a base de tapioca, até hoje não acerto o maldito. E vc precisa ver para aprender. Sorry!


.

4 Pitacos:

Quel disse...

Eu até que sei usar o polvilho, ms com a goma é muito melhor.
E tava boooooooooommmmmmm!!! É de morrer(de inveja, claro!) ...
;)
(a contrabandista)

Cacau disse...

Sora, cê num faz idéia do quanto fiquei contente ao ler esta receita super-hiper-explicativa aqui no seu blog. Minina, eu e mamis estamos apanhando pra aprender a fazer um bijú gostoso. Só minha vó tem as manhãs... Seguirei suas dicas e depois dou um retorno. Ai, que já tô salivando!...

Ps. Essa coisa de blog é muito legal, né? Foi o Max quem me indicou o seu e NaSilvia também reforçou a dica. Tô curtindo entrar aqui.

By the way, se você não se lembra de mim sou aquela que também assistiu aquela peça no CCBB e a NaSilvia cumprimentou. Só não dormi como outros porque analisar complexo de electra e de édipo no teatro é mais divertido que no consultório. rs...

Sora Soralina disse...

Oi Cacau!
Que bom vc por aqui! Vamos entrando... vamos entrando...
Como diz uma amiga blogueira... Vc quer seu cafezinho com adoçante ou com açúcar??
Rsrsrs...

Que bom que vc gostou da diquinha da tapioca/bijú.
Pois é... Eu tbm não sei dar o ponto, e fico dependendo da goma pronta, ou trazida lá dos nordestes ou comprada na feira do Guará. Fazer o quê? Me conte das experiências depois, ok?

Qto a peça, sabe que eu até que gostei? Mas pelo ritmo dela, poderia ser um cadim mais curta, né?

Suma não... suma não.

Apareça sempre.

Bjs
Sora

Janeses disse...

Eu tb fui criada a partir de bijú, porém sem recheio, como o indígena (orirrinall)
E acerto o ponto até hj ;D